sexta-feira, 18 de setembro de 2009

O Sol está solto

O sujeito parece um presídio

superlotado com sentimentos suspeitos

encarcerados em subsolos sujos

com vigilância vinte-quatro-horas

e segurança máxima.


Rancores ódios temores ciúmes

prudentemente excluídos

do convívio social;

submetidos a maus tratos diários

de um narciso carrasco.


Há horas entretanto

apesar da polícia

sob pressão violenta eles se sublevam

incendeiam as celas

e tomam os nervos como reféns.



Texto por: Guilherme Preger



Imagem: Pilar Domingo, inspirada no texto.

5 comentários:

  1. Impossível não se identificar com o poema do Guilherme.

    A imagem da Pilar, além de linda, passa a idéia de uma libertação à força. Portanto, totalmente adequada ao texto. Uma grande estréia!

    Parabéns à dupla!

    ResponderExcluir
  2. Pilar, que imagem linda e cheia de luz sugerindo turbulência e presença humana por mãos espalmadas e espalhadas em cores de ouro e fogo!
    O texto do Guilherme Preger é a metáfora perfeita para os sentimentos reprimidos de todos nós, nessa bem construída poesia/conto/hino/alerta.

    ResponderExcluir
  3. Que bom estar com vôces !
    e
    Viva o Sol !

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a Pilar a belíssima imagem q iluminou meu texto. Valeu!

    ResponderExcluir