sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Não o bastante

Imagem por: Pilar Domingo

uma linha que vai
e se perde, uma linha
atravessa rasante
o fundo que se esquadrinha
distante. o horizonte
não é longe o bastante.

ao alcance da mão
esta linha é o que leva
como um barbante;
é o que sustém
como um corrimão;
ou é o que traz, não obstante,

o horizonte para dentro,
como uma fonte
de espectro cambiante.
afinal é uma ponte
entre o que é infinito
e o que é semelhante

por ser tão próximo.
é sombra ou é luz,
é ocaso ou acaso,
ilude ou seduz,
se o que parece infindo
não é imenso o bastante?

Texto por: Guilherme Preger

4 comentários:

  1. Tem um ritmo incrível essa poesia do Preger. É muito bem construída, dá pra ver que as palavras forma lapidadas paulatinamente, mostrando que sempre se pode ir além.

    Um abraço,

    Igor

    ResponderExcluir
  2. Linda essa imagem!
    As cores estão intensamente fantásticas, dá vontade de mergulhar na foto.

    "o horizonte para dentro como uma fonte de espectro cambiante" foi de tirar o fôlego.
    Muito bom, Guilherme!

    ResponderExcluir
  3. Lindo! estão ambos de super parabéns, concordo com a Ana entra a poesia e a imagem temos o desejo de mergulhar nesse horizonte e nos enredarmos neste barbante distante.
    Parabéns

    ResponderExcluir