terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Almirante Negro



Ô abre alas! Avante cavaleiro
O sol de maio brilha. Vibra o vento nas velas.
O Almirante cavalga ligeiro

Em cada cabeça, o baluarte
No rosto a expressão de coragem

Ô abre alas! Avante cavaleiro
O sol de maio brilha. Vibra o vento nas velas.
A luta incessante chegou a bom termo

Aqueles que andam perdidos
Respondem ao forte bramido

Nem mesmo o açoite cortando os caminhos
Nem mesmo a cilada na mão do inimigo

Ô abre alas! Avante cavaleiro
O sol de maio brilha. Vibra o vento nas velas.
O almirante cavalga ligeiro

Depois de mil noites reinou o esplendor
Evoé, Ogum. Novo tempo brilhou.

Texto: Assionara Souza
Imagem: Rudy Trindade

6 comentários:

  1. Brilharam na parceria!
    Me arrepiou.
    Parabéns!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Lindo mesmo. E é tão musical...

    Sei lá, parece que o texto foi, hã, escrito por intermédio de entidades não-humanas, por assim dizer.

    Transcedental e de arrepiar.

    ResponderExcluir
  3. viva o poema-canção, viva a canção-poema! alguém tem q musicar este txt da assionara. e eparrei rudy!

    ResponderExcluir
  4. A foto eh extraoridinária...rs, acho que o igor acertou em cheio. mirei na imagem e surgiu o poema.

    valeu!

    ResponderExcluir