segunda-feira, 18 de abril de 2011

Libertação



Para a menina
pendurar o guarda-chuva
seria sua libertação.

Viver sob intempéries,
a ventania de uma dúvida,
a trovoada da interrogação,

acolheria na planície
plácida de sua nudez
sem ânsia de solução

e sem luz imposta
que ofuscasse sua vez
de sair da situação

sem falsas vestes,
sem controle pelo tempo
sem outra obrigação

que a de sua própria hora,
sem outro esclarecimento
além da alumiação

de sua chama portátil.
E assim se faria lisa,
limpa, como página não

preenchida, como
livro sem narrativa,
face sem recordação.

Imagem: Letícia Hasselman (vencedora do 14º Encontro)
Texto: Guilherme Preger (vencedor do 15º Encontro)

Um comentário: