sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

É a praia

Imagem: Fernanda Franco


(canção reggae-praieira)

a praia é a praia é a praia
onde restam as réstias
antes que a noite caia
é a praia
e as cores não esvaeçam
antes que o sol saia
é a praia
onde o mar insiste
enquanto a tarde desmaia
é a praia
por onde varre o vento
que esvoaça a saia
é a praia
onde as ondas vêm e vão
para que a dor se distraia
é a praia
por onde varre o vento
que balança a cambraia
é a praia
sempre a mesma
onde a espera se espraia
é a praia
onde a vista se perde
e a ansiedade falha
é a praia
risco do horizonte
pelo azul sem baia
é a praia
murmúrio difuso
da língua de Gaia
é a praia
quem a vigia
que guarda o atalaia?
é a praia
qual mínima alegria
quando ela raia
na praia na praia na praia

Poema de Guilherme Preger

6 comentários:

  1. Não há nada que um belo pôr-do-sol numa bela praia (particularmente no Arpoador) não cure. Aliás, nesse fim de semana teremos sol sem chuva. Viva a praia! Onde morarei nos próximos dois dias.

    "é a praia
    murmúrio difuso
    da língua de Gaia"

    Ótimo trecho!

    ResponderExcluir
  2. Não há nada que um belo pôr-do-sol numa bela praia (particularmente no Arpoador) não cure. Aliás, nesse fim de semana teremos sol sem chuva. Viva a praia! Onde morarei nos próximos dois dias.

    "é a praia
    murmúrio difuso
    da língua de Gaia"

    Ótimo trecho!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o conjunto, poema influenciadíssimo pelo ritmo de férias, só a praia pode inspirar tais palavras e tal imagem, só a praia, que é lá mesmo "onde o mar insiste enquanto a tarde desmaia", adorei isto!

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema e linda foto, o conjunto repleto de musicalidade. "Murmúrio difuso da língua de Gaia" é um verso maravilhoso!

    ResponderExcluir
  5. Achei de uma musicalidade incrível, Preger; gostei muito mesmo. E a imagem esmaecida linda da Fernanda Franco! Um post idílico. Só está difícil achar praias por aqui onde "a ansiedade falha". Tá tudo cheiíssimo. =OO rsrsrs

    ResponderExcluir