sexta-feira, 23 de março de 2012

Levíssima

Imagem: Fernanda Franco


Basta um palco
para inflar-se
sem que seja preciso
nenhum disfarce.

Bastam as luzes
e uma plateia
para sentir-se elevada
como uma ideia.

Basta um figurino
feito fantasia
para sonhar
em pleno dia.

Basta uma passagem
do mais fino vento
para flutuar
num só movimento.

Basta acreditar-se
capaz de
para equilibrar-se
num perfeito pas-des-deux.

Basta bastar-se
e já está suspensa
tão mais etérea
quanto mais intensa.

Poema: Guilherme Preger

6 comentários:

  1. Maria Emilia Algebaile23 de março de 2012 14:16

    Levíssima e intensa! Texto e imagem completamente em sintonia! Lindo!

    ResponderExcluir
  2. Adorei. Achei a sintonia muito fina mesmo (com trocadilho. =P).

    Abraços,

    Igor

    ResponderExcluir
  3. Adoro essa série da Fernanda. E a poesia do Preger tá muito boa.

    ResponderExcluir