sábado, 17 de março de 2012

SÓ HOJE


 Imagem: Marcos Sêmola
Texto: Maria Emilia Algebaile
Rodada 31


SÓ HOJE

Hoje eu solto a franga, eu dou o troco, eu viro a página.
Não me perguntem como nem onde.
Hoje eu grito alto, eu mijo embaixo, eu choro muito.
Não necessariamente nessa ordem.
Hoje, tem que ser hoje.
Hoje eu rasgo a fantasia, eu morro de alegria, me dispo dos pudores.
Não sei se tanto assim.
Hoje eu falo sério, eu minto muito, engulo tudo.
Não posso enganar a mim.
Hoje eu troco as letras, eu pinto o sete, eu lavo e passo.
Não com força, assim-assim.
Hoje estou de quatro, estou com pressa, estou sangrando.
Não digo porque não vim.
Hoje eu mordo os beiços, eu danço o samba, eu pinto a cara.
Não deixo de usar sombra e carmim.
Hoje eu rolo a escada, eu rasgo a fronha, eu penduro a saia.
Não sofro pelo que não tem fim.
Hoje me viro pelo avesso, me dou a qualquer preço, me jogo na sarjeta.
Epa! Epa! Epa!
Só hoje, pelo amor de Deus, só hoje!

3 comentários:

  1. legal o jogo entre entrega e inibição. a foto do semola foi entendida com grande sensibilidade por Maria Emilia. parabéns aos dois!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca, ótimo comentário do Guilherme. Exatamente isso.

      Excluir