terça-feira, 24 de abril de 2012

MÃOS DE TEMPERO


Sim, você a olha. Ela não se esquiva de sua observação. É Mariama. Você a conhece? Posso apresentá-la. O que diria sobre Mariama é que sabe ser excitante, quando quer. Sabe ceder aos caprichos dos que lhes solicitam com doçura. É contorcionista e tem mãos de tempero, que conferem um gosto todo particular a cada pele que acaricia e a cada objeto, comestível ou não, que resolve manipular. Não tem controle sobre o produto final de seu toque, por isso evita manusear alimentos quando a apatia, o horror ou o arrependimento são as cores principais de sua alma. Amendoins podem ganhar um sabor metálico, biscoitinhos amanteigados podem se tornar menos gentis, dedos podem remeter a um cheiro de chuva e ombros podem lembrar o sabor de café. É tudo muito inesperado. Mariama é louca por frutas, sobretudo maçãs, mas também cerejas, amoras, ameixas e caquis. Cultiva uma lealdade às frutas que não dispensa às pessoas. Como suas mãos transpiram temperos incalculáveis, Mariama, quando quer o paladar liberto, deve recorrer a subterfúgios para não macular o gosto original de determinados alimentos (e do suor que flui de certas peles). Nessas ocasiões, deve servir-se com os próprios pés ou com o auxílio de luvas. Quando Mariama se desprende dessa vontade do sabor puro, pode finalmente voltar a massagear seus jantares, que jamais são insípidos, até que de seu tato derive o gosto que melhor lhes couber. Seu estado de espírito cambiante não permite que aceite qualquer coisa. Também sabe ser exigente, quando quer. Mariama serve-se, então, do que mais lhe apetece e, quando acaba, descansa saciada até a próxima refeição.

Texto: Vivian Pizzinga
Imagem: Maria Matina

7 comentários:

  1. guilherme o vizinho25 de abril de 2012 00:42

    uau uau uau, Vivian em sua estreia arrasadora, mostrando porque é uma das melhores escritoras da nova geração. adorei o nome da personagem. e seu texto, sintético, de uma simplicidade poética a toda prova, não é uma metáfora da própria composição, não temos todos nós q aqui participamos, mãos de tempero?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uau uau uau, assim eu ruborizo!!!!!! não havia pensado sobre nossas mãos de tempero!!!!

      Excluir
  2. Adorei! Adoro sinestesia! A imagem da Matina é bela e desafiadora e a Vivian conseguiu captar os seus múltiplos temperos.

    ResponderExcluir
  3. simples e maravilhoso!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Igor. É um texto totalmente sinestésico. Gostei demais das qualidades particulares conferidas a cada objeto que Mariama toca e da surpresa sobre o produto final. Afinou-se muito bem com a imagem. Lindo post e ótima estreia! Adorei! Parabéns às duas e obrigada pelo lirismo e pelo colorido com que nos presentearam.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom. Uma delícia de ler. Parabéns pela estreia! Imagem totalmente inspiradora, a cara dela de gulosa olhanda pra maçã nos pés está espetacular.

    ResponderExcluir