terça-feira, 15 de maio de 2012

Queda

O coração anda amolecendo, e não é por compaixão, dó ou covardia, nem por excesso de esforço ou frustrações reiteradas. Ele perde o vigor e anda curvado, quase encosta o chão, arrasta-se pesado nas cavidades do tórax, migra de lá para cá buscando solucionar uma claustrofobia que vem recrudescendo, percebe as reentrâncias do solo - o solo das vísceras - como nunca antes. Ele cheira seus próprios passos, quase engatinha colado à sua sombra. A tonteira se aproxima desse músculo avermelhado. Está despencando.



Texto: Vivian Pizzinga

Imagem: Pilar Domingo

5 comentários:

  1. MAS TÁ MUITO BOM!

    ResponderExcluir
  2. guilherme o vizinho20 de maio de 2012 03:26

    nossa q texto e imagens maneiras, fortes, estranhas, sugestivas... e meu coração está mais ou menos assim mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vizinho, cuide bem do seu coração e evite o jet-lag!

      Excluir