segunda-feira, 9 de julho de 2012

Nascimento


Acorrentado a lembranças,
Interditado a mim mesmo,
Incompleto por natureza,
Seguia escondido na vida
Por medo de não viver.

Até que, sem conhecer-me,
Alguém me olhou nos olhos
Como se espelhos fossem
E me apertou contra o peito
E me embaralhou as pernas
Trazendo-me de volta o querer.

Por desconhecer-me tanto,
quis que eu me acreditasse
Fez com que eu me recriasse
E com profundidade e leveza
Libertou-me e me fez ser.

Música: Gilson Beck
Texto: Maria Emília Algebaile

3 comentários:

  1. Nossa, estava com saudade das cacofonias múltiplas do Gilson, sempre trazendo as complexas tramas e evocações sonoras do desejo e do "tesão", ou como diria Maria Emilia "trazendo-me de volta o querer" entre os embaralhos de pernas, peito e ser. parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Foi uma experiência incrível, diferente e muito boa! O Gilson me pediu três frases curtas...ele queria fazer um som com um cara quase morrendo de angústia, um cara que levasse um "murro no peito" e os sons iriam se misturando e se transformando em sussurros sensuais, terminando num grito... eu fiquei matutando as frases por um tempo, trocando idéias com ele e, finalmente, as enviei para que ele produzisse a música... então, ele concluiu a "música" e eu fiz o poema já em Lisboa. Achei incrível todo o processo. E adorei o resultado! Foi um ricochetear de motes! Muito legal!

    ResponderExcluir