terça-feira, 5 de março de 2013

Comandante




Comandante

Não é pelo seu sorriso, pela sua simpatia, nem pela sua conversa agradável, ou pelo seu jeito carinhoso e amigo. Tampouco pela sua inteligência. É pela sua bunda: a mais perfeita ode ao erotismo que já tive em mãos. Gosto de te deitar de bruços sobre a cama e me refestelar nelas. Afundo a cara entre os dois continentes. Lambo. Mordo. Dou tapas. Depois arrasto um dedo devagarzinho e você tem espasmos involuntários. Uma das coisas que mais me excita é o poder que tenho sobre seu corpo. Na cama tenho mais controle sobre ele do que você. Sei como arrepiar os pelos das suas pernas. Sei como fazer você jogar a cabeça para o lado num gesto nervoso. Sei como fazer você contrair o músculo que eu quiser. São dezenas de botões pelo seu corpo, e conheço os efeitos de cada um deles. Basta eu apertar um e tenho o que desejo. Nunca canso, pois com duas mãos, uma língua e um falo há incontáveis combinações que posso fazer. É como uma cabine de avião: eu sou o piloto e escolho o destino. Você sempre gosta da viagem.



Imagem: Maria Matina
Texto: Renato Amado
Rodada 41

Um comentário: