quinta-feira, 6 de junho de 2013

Olá João


Recebi sua carta. Mentiria se dissesse que fiquei indiferente ao ler o seu nome no envelope, provavelmente escrito com a caneta tinteiro que te dei de aniversário. Mentiria se dissesse que meu coração não disparou, que meu corpo não gelou, que minhas pernas não tremeram. Não, não o abri imediatamente. Ao contrário, mantive o envelope fechado por um bom tempo, tentando me lembrar do seu rosto. Não consegui. Desliguei o som e tentei me lembrar da sua voz. Novo fracasso. Só o que eu consegui foi me lembrar de mim ouvindo o barulho dos seus passos atravessando o corredor. E da dor que senti quando percebi a força com que você bateu a porta. E de como fiquei depois.
Li sua carta. Mentiria se dissesse que ignorei o pedido que ela continha, que não vesti minha melhor roupa, que não passei aquele perfume que você adorava. Mentiria se te dissesse que não me olhei no espelho daquele jeito meio de costas, meio de lado, que te excitava, se dissesse que não retoquei o baton, que não sequei os cabelos. Mentiria se te dissesse que não mandei o motorista passar batido pelo endereço escrito na carta e que chorei ao te ver lá dentro.
Rasguei sua carta. Mentiria se dissesse que não estou livre de você afinal.

Imagem: Rudy Trindade
Texto: Ana Claudia Calomeni
Rodada 43




2 comentários:

  1. Estou adorando a participação da Ana Claudia no Caneta. Muito show de bola pura, ou puro, sei lá, o show é puro ou a bola é pura (depois do muito prosa ou muita prosa no fb fiquei confusa com os gêneros). E a foto do Rudy tá ótima, melancólica na medida certa. :) Parabéns aos dois!!

    ResponderExcluir