domingo, 15 de setembro de 2013

Lugar Tempo Sujeito e Fábula

Aqui já se contam os dias e anos,
Já se remontam priscas eras de dinossauros.
Pra tudo nós contamos era uma vez uma fábula.
Todo ano cantamos nas férias e confabulamos...
O que temos de Yin e Yang; nós também doamos sangue.
Aqui se desmonta do cavalo e se monta peças de quebra-cabeça.

Desmontamos ferro-velho e não corremos dos touros,
Mas não vamos às touradas nem lemos linhas das mãos.
Tudo já foi narrado conforme dizem as antigas escrituras.
Caímos no fundo do mar e achamos o tesouro.



Poema por Fernando Andrade
Imagem por Carlos Monteiro
Rodada 45 - Invertida

Um comentário: