sábado, 28 de dezembro de 2013

BODAS DE AMIANTO


Você nunca me disse que já havia ido embora, enquanto ficava aqui. Lembra? Nós nem tínhamos mala. Saíamos pra comprar o quê? Colchões, cintos, aquele olho mágico pra porta da sala. Você ainda me dava a mesma papa de palavras. E só trocava de roupa. Eu juntava as migalhas, na mesa depois do almoço, na cama depois do sono. E toda manhã acordava com o controle remoto cutucando uma costela.
Agora eu te pergunto, de tantas faltas, ausências, que me cortam os pulsos do dia, qual delas será o amor?
E fico esperando os e mails.

Imagem: Pacha Urbano
Texto: Cesar Cardoso
Rodada 47


Um comentário: