quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Cosmogonia da pesca




Livro aberto dê ondas abertas neste mar bravio. Homem esperto sai à proa numa embarcação pelo mar não Pacífico. Ele entoa uma canção onde o tempo não falte: o tempo alegoria - catarse de uma viagem do amor e plena de perigos. Homem alegria cai em pescas fantasmagóricas e quando a tempestade declina feito um poema; o homem aceita sua natureza e olha para o (s) eu corpo que vê pequeno, inclina uma ação e forte pega o arpão e lança aos céus onde o espaço é azul profundo... E esta porção de perigo; esta vontade de potência chega e orbita a lua. Virás homem orbitar os seus sonhos? Desdirás os fios de alta-tensão que gravitam na sua vida?

Imagem: Pilar Domingo
Texto: Fernando Andrade
Rodada 47



Um comentário: