quinta-feira, 10 de julho de 2014

ROCK PANEGIRICO


Maquinário pesado 
Ritmo binário resoluto
Caixa de bateria um e dois
Baquetas modulam impolutas
E o baixo ondula a frequência do swing
A cozinha já está nas luas
Aparece de surrupio um dedilhado de violão
Acariciando a pergunta da onde vem o ringue?
Destas linhas arrepiantes de piano, London
Estilo Inglaterra trovadores bebendo em pubs
Maquinário melódico?
O naipe de metais dá a vibração redonda
E a linha das guitarras quebram o estilo em clubes
Em lonas descem a porrada! mas a alma é periódica,
O som não precisa mais de você, Denver
As prateleiras onde estavam os livros
Foram (dês)enraizadas em voleios violoncelos, em borrões de círculos
Maquinaria não derreta os flertes com os bordões
Isto aqui é anarco-punk, rock panegirico!


Post extra
Texto: Fernando Sousa Andrade
Imagem: Magali Rios


Nenhum comentário:

Postar um comentário