sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Olhar Profundo



Olhar Profundo

Warum gabst du uns die tiefen Blicke (Goethe)


Por que nos dá teu olhar profundo
            onde cintila, por um segundo,
um improvável, impossível futuro

que nos estranha o momento?
Agora não há pensamento
que suporte outro desenho,

outro destino, outro rosto,
            pudor perdido, posto
num longínquo porto.

Paz não haverá, for-
ça seria impor
um nome a esse amor:

Mirada, gozo, fissura.  
Nada disso o enclausura:
esvai-se nessa face centrífuga.

Imagem: Carlos Monteiro
Texto: Guilherme Preger 

Nenhum comentário:

Postar um comentário