quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Ab ovo

De manhã o banho,
a água límpida
e o principiar de novo
— salto ab ovo
para o vórtice de um mundo
antes indiscernível
como se microscopicamente
do gasto soro fecundo
de secreto oceano
germinasse a extrema lírica
de um ínfimo acontecimento
que não encontrasse justificativa
outra do que o movimento
da mísera alegria viva,
tão informe como uma alga
que as mãos queima
e se esparrama no poema,
esmegma e promessa:

o que morre, o que recomeça.












Texto: Guilherme Preguer
Imagem: Paula Sancier
Rodada 51

Nenhum comentário:

Postar um comentário