segunda-feira, 30 de março de 2015

Por um triz

Oh, triste,
a carnesempretriste
que fluida fruição
fará acaso
?

o azo
do fio de cabelo
amorfo coração

o efêmero frêmito
do frasco de
refresco
resfriando os dedos

que afresco fará
caso
de todo esse alarde?

sempretristetarde

olhos azuis
boca amarela
púrpura esmalte:

a carne em dores
decolores
pris
máticas

o quê de feliz
se pode sorver
está por um triz

de se deixar perder
enquanto pensa placida
mente escorre

coriza do nariz

Imagem: Carlos Monteiro
Texto: Guilherme Preger

Nenhum comentário:

Postar um comentário