segunda-feira, 11 de maio de 2015

Guerreiro da lua




Igual canção
Na alma grita
Sangue que ferve
Na carne brota
Quase estremece
Frio não é suor
Que entristece
Feliz é o galope
Do Budapeste.

Acendo minha vela
Devoto oportuno
Todas as honras
E cortejo
És guia
Deus oriundo
Das linhas tortas
Daquela janela
Aberta de sorte
E esquinas velhas.

Imagen: Rudy Trindade.
Texto: Carolina de Araujo.
Rodada 59.

Nenhum comentário:

Postar um comentário