terça-feira, 11 de agosto de 2015

Ramadã de oração




Entre* acordo

Numa manhã

Bebi um chá de boldo,

Ali num ramadã de oração

Havia sonhado com tordos

Que voavam sobre a

A cabeça galáctica de Alá

Não vi ilhéus, Bahias, nem sobrados,

Estava num estado de lã, dormitado,

Como protegido pelos fetos

De minha santa mãe,

Eu abri os olhos e me deixei afetos.

Há uma fábula que quando o Pã

Aparece

Um cão andaluz traz um abeto às ramagens
Para o andarilho sondar os pântanos das suas imagens.


Post Extra
Imagem: Magali Rios
Texto: Fernando  Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário