terça-feira, 29 de setembro de 2015

A renda do dia


Areia relha
Nos pés numa pá de vezes.
Na veia do sábado
Arrenda o dia\ a renda tá módica\ vim fazer espetáculo
Vendo sol saindo (abraçado) ao mar que vem me ver,
Com a espuma-do-mate leão,
Aos olhos claros da pista do Galeão
Saindo do Rio, entrando no mar                                           
Moças e moços lerão
Os capítulos da próxima temporada de amar-te o próximo.

De verão com marolas e (tu)barões do petróleo
Entrando na área da arrebentação do país,
Mas, o ambulante labuta toda a extensão da praia.

Texto: Fernando Sousa Andrade
Imagem: Magda Rebello


Nenhum comentário:

Postar um comentário