sexta-feira, 18 de março de 2016


MIRAGEM

Passa por mim a mulher amada.
Mergulho em águas claras
E seu corpo é uma miragem
Que apenas meu coração alcança
Afogando  meus olhos toscos
Desde os tempos de criança.
Vejo seus contornos
E me contorço no desejo
De que essa visão desfocada
Seja suficiente para meu bem querer.
Ela nem imagina. Ela não sabe de mim.
Que se há de fazer?
Enquanto ela passa na superfície,
Minha rosa das águas me indica
O caminho da submersão sem fim.
Aquoso torpor.
Explodo em bolhas recolhido de amor.


Imagem: Glória Mota
Texto: Maia Emilia Algebaile
Rodada 64

Um comentário:

  1. Beleza! Bela retomada do Caneta Lente e Pincel.
    Abracadabraço do
    Cesar Cardoso

    ResponderExcluir