quarta-feira, 27 de abril de 2016

CAMINHOS DE NÃO CHEGAR



CAMINHOS DE NÃO CHEGAR
Mais duro que ter olhos de não ver,
talvez seja ter caminhos de não chegar.
Se o futuro é um zero na amplidão,
tanto faz que no final do túnel
exista negrume ou clarão.
Recriar o passo
No ato da criação
Pra quem não sabe onde vai
Tanto faz luz ou escuridão.
Essa gravidade zero
Me leva solta no ar
Perigo de amor certeiro
Medo de não amar.
Onde piso, onde ando
Muita gente já passou
Só que agora eu me dano
Com o resto que sobrou.
Não quero o final do túnel
Me ofusca esse clarão
Que há depois dessa luz
Quem me dará a mão?
Caminhos de não chegar
Sempre me guiarão.
Imagem: Carlos Brauz
Texto: Maria Emília Algebaile
Rodada 65

Nenhum comentário:

Postar um comentário