sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Paralelas



Os pés que pisam o mesmo chão
 já percorreram caminhos
diferentes, inusitados e no entanto tão parecidos.
A areia que poderá ser de praias ou desertos,
é base para descanso, caminhar e grandes saltos.
Uma rede quase invisível a delimitar o espaço-vida de cada uma,
lembra que é preciso estarem atentas. Sempre.
Em comum, o olhar arguto, a cintura delgada, o pensamento viajante,
as pernas fortes, os pés que apoiam a vida, mãos que acariciam e lutam,
as ancas que prometem e o desejo latente de ser mulher
acima e apesar de tudo.


Rodada 68
Texto de Maria Emilia Algebaile
Imagem de Rudy Trindade


Nenhum comentário:

Postar um comentário