domingo, 16 de outubro de 2016

Sonho




Esta noite sonhei com o tom da sua voz. Estava mais grave que o habitual, anasalada e sóbria, querendo me dizer algo que eu desconhecia. Os passos no corredor invadiram meu sono, ritmados e perplexos. Uma sirene de bombeiros fazia com que tudo acontecesse ao mesmo tempo. Mas sua voz sobressaía, grave, dentre os ruídos oníricos do meu inconsciente. Você falava em um idioma desconhecido que parecia russo, mas poderia ser ucraniano ou polonês. Nessa hora, me arrependi de não ter aprendido tudo que podia com você. Me arrependi de ter permitido sua partida violenta, abrupta e solitária. Acordei sobressaltada, com um medo, que me vinha sóbrio e ruidoso. O medo imenso de perder a lembrança de sua voz.

Rodada 69 Invertida
Texto de Danielle Schlossarek
Imagem de Magali Rios

Nenhum comentário:

Postar um comentário