terça-feira, 25 de abril de 2017

nenúfar nada


nenúfar nada

não é rosa ou nenúfar: nada
plácida sobre a camada
de água confusa, extática.
impassível sobre a raia
mais profunda, obnubilada,
não diz ao que veio, nada
que não seja sua quietude
contra torvelinhos: amálgama
cromática que coalesce
entre incertezas e réstias.
não é feia nem partida,
mas toda, inteira, clara,
é sua nervura súbita
que fura a nauseante
e turva inércia líquida:
ela é pacífica,
intensa,

nítida.


Imagem: Angela Márcia dos Santos
Texto: Guilherme Preger    

Nenhum comentário:

Postar um comentário