sexta-feira, 21 de abril de 2017

NO FUNDO DOS SEUS OLHOS VI ESTRELAS



Éramos eu e meu clã:
a disparar
contra você em silêncio.
Eles se foram, fiquei com meus pensamentos.
Atacando.
Torres de ideias.
Sólidas, perenes
te golpeando calada.
Quando elas caíram sobraram os romances, as sagas, as lendas.
arremessadas contra você, quieta.
Logo as perdi, ficando-me apenas algumas frases, citações, grandes sentenças.
Despejadas sobre sua mudez.
Depois só me valiam as palavras soltas.
Contra sua boca sem som.
Por fim nada mais para guerrear.
A não ser suas próprias armas no terreno em que você pelejava tão bem.
Foi quando te olhei.
Li seus olhos:
O desenho da íris e a composição da pupila contando-me coisas.
No fundo dos seus olhos vi estrelas.
Deserdei com o inimigo.

Imagem: Márcia Magda - Texto: Pedro Silva - Rodada 74

Um comentário:

  1. oi Pedro , estou chegando de longa viagem e só agora tomo contato com o seu poema.gostei muito da sua viagem na minha imagem , pois você viu sentimentos a onde eu só via sinapses... Adorei !obrigada pelo rico olhar

    ResponderExcluir