terça-feira, 11 de abril de 2017

ORAÇÃO



Olho e não percebo
Minha imagem e semelhança
Sou vil, astuto, canalha
Mentiroso, sujo, desonesto
Não tenho fé, esperança.
Cuspo palavras que ferem
Sangue pinga de minhas mãos
Não dou água a quem tem sede
Sou cego ao sofrimento de irmãos.
Não temos, Senhor, qualquer traço semelhante
O que seria Tua herança
Perdeu-se pelo caminho 
Sou simples ser errante
Corrompido e agonizante
Muito descrente e sozinho.
Não se reflete em minh'alma
Teu desejo de harmonia e calma
Não peço instante de paz 
Quero sempre algo a mais 
Já que a vida seguirá
Indiferente e sem trauma.

Rodada nº 74
Imagem: Carlos Brausz
Texto: Maria Emília Algebaile

Nenhum comentário:

Postar um comentário